sexta-feira, outubro 26, 2007


através da velha treliça

camarões amarelos refrescados

pela chuva da tarde।

Peinha Schirmer - 19/7/2007 - 17:28

segunda-feira, outubro 15, 2007

Conversas de argila!!


Entre o cio e a terra,
deito dedos no barro,
moldo, remexo e afago,
o húmus que este encerra.
Entre o cio e o mar
subo ondas, desfio,
fio a fio, o tear
do meu imenso fastio.

Entre o cio e a noite,
a erecção é um falos de terra
e o mar como num açoite,
explode no rosto de quem berra.

E o barro assim, já suavizado,
empresta ao momento,
o seu traço imortalizado,
nos dedos do meu alento.


Jorge Humberto
(18/12/2003)